quarta-feira, 17 de junho de 2015

Lelo Néspoli no Salão da Fotografia Consigo

"Em um mundo digitalizado e colorido, fotografar sem lentes e numa banda que rompe com as frequências da luz, visíveis apenas a olho nu, é um desafio ao atual status quo da fotografia.
As fotos foram feitas em ocupações, assentamentos e na aldeia indígena Tekoá Pyau no Jaraguá, com a generosa colaboração dos índios Guarani e dos militantes da causa dos sem-teto e dos sem-terra. Tais locais foram escolhidos por serem locais invisíveis a grande parte da população e mostram que em uma cidade ilógica nem tudo é azul; as diversas nuances da cidade são reveladas, então, pelo olhar infravermelho das câmeras pinhole."

Lelo Néspoli, formado em Física, foi professor do Instituto Federal de SP - IFSP – e de projetos interdisciplinares envolvendo Arte e Ciência. Há dez anos trabalha com fotografias pinhole e mantém um fotoblog e um site (www.pinhole.net.br). Também realiza oficinas em instituições culturais, colégios e presta consultorias sobre o tema pinhole.